Esclarecimento

Esclarecimento
Junho de 2020

Na sequência da divulgação nas redes sociais de um mapa de vendas em lota, dando conta da venda de 600 kg de sardinha ao preço de 0,07/kg e de supostas irregularidades cometidas na lota de Quarteira, a Docapesca – Portos e Lotas, S.A. vem esclarecer o seguinte:

Em primeiro lugar, a referida imagem é verdadeira, tendo sido vendidas 4 dornas de sardinha com um peso total de 600 kg, ao preço de 0,07€/kg, da embarcação Nossa Senhora dos Remédios, conforme a imagem divulgada, no dia 16 de junho.

Quanto ao preço em lota, existem alguns fatores que influenciam a sua formação. Em primeiro lugar, a relação entre a oferta e a procura. A redução na procura, resultante da proibição dos arraiais dos Santos Populares e do facto da restauração continuar com restrições à sua atividade, não tem contribuído para manter o nível de preços da sardinha no leilão da primeira venda de pescado que seria expectável nesta altura do ano. 

Em segundo lugar, o tamanho e o grau de frescura do pescado contribuem também para a sua valorização. O tamanho varia entre 1 (maior) e 4 (menor) e o grau de frescura pode ser E (Extra, com maior frescura), A ou B (menor frescura). Neste caso específico, a sardinha vendida foi tamanho 3, grau de frescura B, ou seja, uma sardinha mais pequena e de pior qualidade.

A título de exemplo, apresentam-se os preços médios e máximos da sardinha na lota de Quarteira no mesmo dia e na semana anterior (preços sem IVA e taxas):

  • Dia 16 de junho - Preço médio: 0,66€/kg // Preço máximo: 1,19€/kg
  • Semana de 8 a 12 de junho - Preço médio: 2,97€/kg // Preço máximo: 6,00€/kg

No cômputo nacional, e mesmo considerando o período excecional que vivemos, comparativamente aos anos anteriores, até à presente data, o preço médio da sardinha regista uma redução de 15% face a 2019 e de 9% face a 2018.

Por último, refira-se também que algumas Organizações de Produtores definiram preços de desencadeamento do mecanismo de armazenagem para espécies de pequenos pelágicos (entre as quais, a sardinha), com o objetivo de estabilizar o mercado e impedir que o pescado seja vendido em leilão a preços que considerem demasiado baixos e assim promovendo a sua valorização. 

Quanto às supostas irregularidades na lota de Quarteira, referidas no mesmo post, mais concretamente no desaparecimento de 400 kg de sardinha da mesma embarcação, a Docapesca repudia veementemente estas afirmações, pelos seguintes factos: 

No dia 16 de junho, a referida embarcação descarregou e vendeu 1524 kg de sardinha na lota de Quarteira e não só os 600 kg (conforme referido no post), tendo todo este pescado sido vendido neste dia.

Trata-se de uma “denúncia” que revela uma manifesta ignorância face à realidade, má fé e grande leviandade ao colocar em causa, não só o bom nome da empresa, como o dos seus trabalhadores. Porque não podemos compactuar com esta forma de estar, tão fácil e acessível nos dias de hoje, somos forçados a agir judicialmente sobre os autores dos comentários difamatórios.

Por fim, importa referir que a Docapesca é uma empresa do setor empresarial do Estado com quase 60 anos de existência, existindo única e exclusivamente, com o propósito de servir o setor das pescas e os pescadores, ontem, hoje e sempre.

 

Marcadores Sociais

 

mar   A-IPMA-2019A-DGPM-2019A-DGRM-2019promar f2    dgmare1     eumofa2